Tocando agora...

Title

Artist

Background

Saiba como é a rotina de trabalho de um Dj profissional

Postado por: on 12 de agosto de 2019


Para quem acha que dj só trabalha nos finais de semana, tocando uma ou duas horas no sábado e fica de folga o resto da semana está enganado.

O dia-dia de um dj profissional é corrido, com diversas tarefas burocráticas e nem sempre divertidas. Saiba como é o dia-dia de um profissional desse ramo e todas suas restrições.

Viagens, aeroportos, hotéis…
Parando para pensar, no dia da apresentação o dj profissional toca em uma parte da noite, mas o restante do tempo acaba sendo dedicado a logística e tráfego.

Muitas vezes, suas apresentações é longe de onde mora e são necessárias horas de voo. O horário de voo pode ainda não bater perfeitamente com o horário da apresentação e o dj precisa ir muito antes e sem ninguém.

Nesse tempo, janta sozinho, vai até a festa sozinho, toca e volta para o hotel desacompanhado. Fazendo as contas, apenas de 3 a 4 horas ele interage socialmente com as pessoas e todo restante não tem ninguém por perto.

Para muito dj profissional é um impacto muito grande descer de um palco com milhares de pessoas, voltar para um hotel, passar a noite sozinho e só no dia seguinte voltar para casa.

Como a maioria das festas ocorrem no final de semana, muitos djs precisam deixar de lado o tempo livre com família, filhos, festas de aniversário e casamentos de queridos.

Depois de anos tocando aos finais de semana muitos djs precisam arranjar uma forma de pesar o tempo que estão perdendo com família e amigos queridos.

Falta de sono e horários invertidos
O trabalho de um artista que sai em turnê parece um sonho e mil maravilhas para quem vê de longe, mas por trás de viagens pagas e hotéis de luxo (que nem sempre são), há uma série de pontos negativos.

Dormir 4 horas ou menos para pegar um próximo voo, viver fazendo malas de roupas provisórias, ficar meses longe de casa, de família e amigos faz muita falta.

Fora da turnê, o dj precisa passar o dia dormindo para conseguir fazer a apresentação à noite e isso acaba atrapalha bastante no relacionamento entre família e amigos.

Montagem e desmontagem
Quem trabalha com eventos corporativos e sociais sabe como a etapa da montagem e desmontagem é trabalhosa.

Descarregar caixas, luzes, amplificadores, palco, treliças e periférico exige chegar horas antes do evento para garantir que tudo funcione perfeitamente. Muitas vezes a equipe está reduzida e o dj também ajuda com todo esse trabalho. E depois quando o evento acaba, a equipe é a última a sair, pois precisam fazer toda a desmontagem e carregamento dos equipamentos de volta.

Pesquisa musical constante
Com o avanço das mídias eletrônicas e reprodutores de música em stream, fica ainda mais fácil qualquer pessoa ter acesso rápido as novidades.

Por isso a pesquisa musical do DJ deve ser diária, procurando novidades, tendências e novos artistas. Mais de 50 mil músicas novas são lançadas mensalmente e sem um trabalho de pesquisa constante, o dj pode ficar para trás muito rápido.

Pressão de todos os lados
Quando se trata de um artista, muitas pessoas são envolvidas. Managers, agentes, selo de gravação, público e redes sociais estão o tempo todo em volta do dj. O profissional precisa saber lidar muito bem com cada um.

Principalmente para os djs / produtores que fizeram um “Hit”, selos e agentes ficam em cima para saber qual será a próxima música, pressionam datas com apresentações extremamente cansativas e fazem com que mantenha o contato com o público o tempo todo.

As redes sociais e os “haters” da internet inflaram ainda mais tudo isso. Comentários maldosos e críticas sem base alguma podem vir por todos os lados. O Dj precisa ter ser muito racional, estar próximo de pessoas confiáveis para conseguir gerenciar e superar tudo isso.

Burocracias
Para o dj profissional que está ligados a alguma agência, boa parte do seu tempo deve estar dedicado a alinhar o cronograma e planejar a carreira.

Pensar qual será a próxima musica a lançar, quais serão as próximas datas, documentos, vistos de outros países, parcerias, colaborações com outros artistas e ainda manter suas redes sociais sempre atualizadas são tarefas do dia dia que consome bastante tempo para um dj profissional.

O trabalho pode se intensificar ainda mais quando o dj não tem vínculo com algum agente. Com isso, todo o trabalho fica ainda mais pesado. Visita técnica, reuniões com clientes, prospecção, emissão de nota e toda a parte artística é encarregada pelo próprio dj.

Muitos djs também tem sua própria festa, e para isso existe um tempo dedicado a produção integral de evento. Dessa forma, cotações, contratação de fornecedores, contratação de outros artistas, visita técnica, planejamento, cronograma e comunicação é uma das atividades extras do dj.

Produção musical

Nos últimos 10 anos, houve um “boom” de novos produtores musicais lançando muita música de qualidade. Grande parte dos djs criam sua própria música e tocam em suas apresentações, além de ganhar mais popularidade. Esse é um trabalho que envolve muito estudo técnico e criativo.

O processo de lançamento de uma música bem planejada pode levar meses, ou até anos, desde sua produção, mixagem, masterização, aprovação de selos, divulgação e lançamento.

Trabalho x Lazer
Muita gente acha que pelo motivo dj profissional trabalhar em baladas e festas, sua vida é sempre divertida. Muito pelo contrário, quando o dj está na cabine de som, ele deve estar consciente que está no seu local de trabalho, com contratantes e público admirador ao seu redor.

O acesso a álcool e drogas está presente o tempo todo. Pode parecer divertido, mas muitas vezes o dj está chegando na festa vindo de poucas horas de sono e todos já estão eufóricos. Não é fácil para eles estar presente com todos oferecendo bebidas e drogas. O maior problema é que para o público será apenas uma noite, para o dj é o tempo todo.
“Mesmo que não seja muito, é tipo, um ciclo de um dia, mais um dia e mais um dia….Depois de um tempo, você cai em queda num avião com você mesmo!” Seth Troxler, dj americano de Techno e house music.

Diversos relatos de dj conhecidos mundialmente dizem que a presença constante em festa pode causar depressão. Avicci, Erick Morillo e Deadmou5 são alguns djs que já passaram por isso. Os casos são cada vez mais frequentes. O síndrome é conhecido Burnout.
“Quando eu chego às 3 da manhã na festa, e eu estou tipo, o que está havendo?, ainda acordando, e todas as pessoas vem elétricas e loucamente e gritando no meu ouvido, as vezes eu quero socar eles! (risos). Isso porque eu não estou na mesma energia, então eu imediatamente peço um shot de bebida, por que eu preciso ficar no mesmo nível das pessoas e tipo de conversa… É complicado, tem um lado bom e um lado muito ruim…” Luciano, DJ e produtor chileno-suíço, cinco vezes vencedor do DJ Awards e candidato a dez vezes.

Enfim, tocar!

Claro que todo esse trabalho tem sua recompensa. Apesar de todas as dificuldades, esses amantes da música fazem valer cada segundo quando estão no palco.

Não existe maior gratidão quando o público está se divertindo com a música que o dj está tocando, ainda mais se for de sua autoria. Apesar de haters e diversos interesseiros no meio, ainda tem muita gente boa nesse setor e muitos fãs que estão lá realmente pela admiração do artista.

Referências:

-Conversas e entrevistas com djs brasileiros.

-Documentário WHY WE DJ – SLAVES TO THE RHYTHM

-helpmusicians.org.uk

-documentários Vida de DJ, Portal Terra

Fonte: Warpsound


Reader's opinions

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *