Entenda as medidas que alguns países estão adotando para a retomada da vida noturna

0

Informações atualizadas sobre o funcionamento dos clubs, restaurantes, bares e o retorno gradual das atividades sociais impactadas pelo Covid-19.

Diante da pressão pela retomada da economia e de suas atividades financeiras, alguns países começaram a estabelecer condições para reabertura gradual de casas noturnas, bares, restaurantes e festivais de música. No entanto, com o aumento do número de casos do coronavírus, alguns países mantêm firme o posicionamento de não abrir clubs e de não realizar grandes eventos, deixando clara a mensagem de que um retorno completo somente será possível quando houver uma vacina de imunidade ao vírus.

Leia também: São Paulo – Grandes eventos poderão retornar a partir de outubro

Listamos abaixo algumas das medidas que cada país está tomando e suas projeções futuras no entretenimento “pós-pandemia”. Atualizaremos a lista à medida que as novas informações forem publicadas.

Suíça
A Suíça passou a permitir encontros com até mil pessoas e reduziu a distância física mínima entre indivíduos para um metro e meio. O relaxamento do isolamento também retirou a limitação de horário de funcionamento para restaurantes, bares e clubes e agora permite que os clientes consumam em pé nos estabelecimentos. Em caso de eventos com mais de 300 pessoas, o público deverá ser separado por divisórias ou salas. Eventos com mais de 1.000 pessoas, só a partir de agosto.

Colômbia
Embora tenha flexibilizado as restrições, o Presidente Ivan Duque disse que eventos que atraem grandes públicos não irão acontecer em um futuro próximo. Ele disse ainda que o governo está tentando ajudar bares e clubs a “se reinventarem” para funcionarem melhor na era do distanciamento social, evitando, assim, desencadear um novo surto do vírus.

Japão
Depois de decretar o fim do “estado de emergência”, o governo japonês anunciou um plano de três fases para reabertura do comércio e retomada de atividades sociais. Os restaurantes agora podem servir bebidas alcoólicas somente até às 22h, enquanto academias e os tradicionais “boxes” de Karaokê, tão famosos por lá, já estão funcionando parcialmente desde o dia 1 de junho. As diretrizes para clubs incluem fornecer aos clientes espaço suficiente com boa ventilação e evitar falar alto.

Em Tóquio, o governo local está pagando aos clubs  ¥ 500.000 (aprox. R$ 25 mil) para permanecerem fechados.

Irlanda
O plano de reabertura é composto por cinco fases. A etapa final, estimada para 10 de agosto, permite a retomada gradual, respeitando o distanciamento social, de clubs, eventos e festivais de música. Já os bares e restaurantes estão liberados, desde que sigam as medidas de segurança impostas pelo governo, que restringe o atendimento às mesas.

Estados Unidos
Um dos países mais afetados pelo vírus, os esforços para reabertura das atividades em cidades como Nova York e Los Angeles, serão realizados em fases. Ainda não há nada definido para o setor de entretenimento, que inclui casas noturnas e shows, mas a previsão é de que um dos últimos setores a reabrirem. Bares e restaurantes foram liberados de abrir em Nova York com atendimento ao ar livre e seguindo as orientações rigorosas de distanciamento.

Portugal
Os festivais de verão estão proibidos até o dia 30 de setembro, porém shows menores com 50% de sua capacidade total e com público sentado, ganharam autorização para rolar a partir de junho. Saiba mais sobre as restrições de Portugal aqui.

Dinamarca
Reuniões públicas de até 50 pessoas estão permitidas, assim como academias e piscinas públicas. Segundo o jornal local “The Local DK“, os museus, teatros e zoológicos estão funcionando desde o dia 8 de junho, enquanto os bares, casas noturnas e casas de show precisarão esperar até o início de agosto.

Holanda
Segundo nota divulgada pelo governo, os eventos em massa só serão permitidos após a liberação de uma vacina contra o vírus. As salas de shows e teatros foram autorizados desde 1 de junho a receber grupos de até 30 pessoas. A previsão é que a capacidade máxima nestes lugares aumente para 100 pessoas a partir de Julho, caso o número de internações se estabilize.

Alemanha
A Alemanha mantém a proibição de casas noturnas, teatros e locais culturais até 31 de julho. Eventos com 1.000 pessoas ou mais somente após 31 de agosto. A partir de 24 de outubro, eventos com mais de 5.000 pessoas serão permitidos.

Leia também: Clube holandês aposta em novo formato para receber o público pós-pandemia

O governo alemão criou um fundo de 1 bilhão de euros para o setor cultural, sendo 150 milhões destinados à música ao vivo. Clubs reabriram mas em outro formato, agora funcionam como bares ou restaurantes.

Itália
Com um número expressivo de mortes, a Itália estabeleceu desde o dia 7 de março bloqueios e políticas rígidas e isolamento. No início de maio as restrições foram flexibilizadas, permitindo pequenas viagens e visitas a parentes próximos. Desde o dia 3 de junho, o país reabriu unilateralmente suas fronteiras e acabou com as restrições regionais de viagens.

Já os bares e restaurantes estão em funcionamento parcial desde o dia 18 de maio, aceitando um número reduzido de clientes, com mesas mais afastadas e “barreiras” de plástico para separar as pessoas. Eventos de música ao vivo foram autorizados a acontecer, desde que respeitem a capacidade máxima de 200 pessoas em lugares fechados e 1.000 pessoas em eventos ao ar livre, com assentos pré-selecionados. Os clubs foram liberados a partir de 14 de julho.

França
Eventos com mais de 5.000 pessoas estão proibidos. Bares e restaurantes estão liberados com restrições.

China
Clubs e bares já tem permissão para abrir suas portas, mas, por receio da população, a adesão ainda é muito baixa. Além disso, as pessoas tendem a ir embora mais cedo para ficarem tão expostas. Segundo os produtores do OIL Club, apenas 10 a 15% do público antigo está frequentando o local um mês após da abertura. “Não posso dizer que recuperaremos todas as nossas perdas, mas se continuar nesse ritmo, as perspectivas não são ruins.” diz uma das responsáveis pelo club, Aymen Hajlaoui.

As medidas de seguranças começam na porta com um termômetro para verificar a temperatura e a exibição de um QR Code que indica o status de saúde. Uma vez dentro do club, máscaras são obrigatórias. A falta de artistas estrangeiros passou a ser uma excelente oportunidade para descobrir e fortalecer artistas locais.

Bélgica
Desde o dia 10 de maio, os belgas foram autorizados a receber visitas de até quatro pessoas, agora estendido até 10 visitantes. Cafés, restaurantes e clubes esportivos reabriram em 8 de junho, e os cinemas, cassinos e shows recomeçaram no início de de julho (200 pessoas em locais internos e 400 em locais externos).

Reino Unido
As novas orientações do Reino Unido anunciadas pelo governo incluem a reabertura de pubs e restaurantes com capacidade limitada e medidas de segurança rigorosas. Os clientes deverão fornecer informações sobre os contatos próximos, contribuindo com o rastreamento de pessoas contaminadas. Hotéis e parques também poderão reabrir. Embora museus e galerias possam abrir, as casas noturnas e locais de música ao vivo continuam fechados.

Holanda
Bares e restaurantes reabriram em 1º de junho para até 30 pessoas dentro e um número ilimitado, desde que as pessoas mantenham uma distância de 1,5m. Cinemas, teatros e salas de concerto também reabriram, sujeitos a um máximo de 30 convidados. Eventos maiores e esportes de contato físico poderão ser retomados em setembro.

Áustria
Reuniões de até 10 pessoas são permitidas desde o início de maio. Restaurantes e cafés reabriram em meados de maio, enquanto academias, piscinas ao ar livre, hotéis e alguns cinemas foram abertos no final de maio, com casamentos envolvendo até 100 pessoas. Não há previsão para retorno de grandes eventos.

Espanha
De acordo com plano de quatro fases anunciado em abril, bares e restaurantes já estão operando com 50% de sua capacidade total e, claro, respeitando o distanciamento social. Teatros, cinemas e museus funcionam parcialmente desde o dia 8 de junho com um terço de sua capacidade. Os clubs de Ibiza estão suspenso durante a temporada de 2020, mas mesmo com as restrições alguns clubs insistem em realizar eventos particulares e sem autorização, como aconteceu no Amnésia, que  realizou uma festa particular para 130 pessoas sem máscaras e após uma denúncia dos vizinhos a polícia ordenou a evacuação do local. O club emitiu uma nota.

Rússia
Desde o dia 6 de junho, o país está reabriu gradualmente suas fronteiras, permitindo que os cidadãos viajassem para fins de trabalho, educação, tratamento médico ou visita a parentes. Moscou, uma das cidades mais afetadas pelo vírus, já permite caminhadas regulares em parques. Embora ainda exista uma proibição clara para eventos públicos, as autoridades permitiram que uma feira de livros fosse realizada na cidade com restrições rígidas. Os restaurantes e cafés estão se preparando para reabrir de acordo com as novas regras, que, dentre elas, obrigam os estabelecimentos a montarem suas mesas com distanciamento mínimo de 1,5m. Cada região decidirá o processo e as datas certas de reabertura.

Coréia do Sul
Após flexibilizarem as medidas de isolamento, que incluiu a abertura de casas noturnas, o país percebeu um aumento do número de infecções, forçando o governo a adotar novas medidas de segurança e restringindo encontros sociais.  Ainda não há previsão para reabertura das casas noturna.

Canadá
O Canadá abriu bares e clubs, mas com restrições. Pistas de danças foram tomadas por mesas cadeiras e sofás, convertidas em uma experiência do tipo “lounge”. O Governo canadense criou um fundo de 20 milhões de dólares para apoiar a industria de shows com fins lucrativos.

Austrália
Eventos ao ar livre estão permitidos, desde que o público fique sentado com 1/4 da sua capacidade. Bares, restaurantes e clubs foram autorizados a abrirem. O governo prometeu um fundo de 75 milhões de dólares australianos para ajudar a indústria de eventos.

Nova Zelândia
O país anunciou ter zerado a transmissão em 8 de junho, permitindo que seu comércio, eventos e qualquer tipo de aglomeração seja liberado. O último caso relatado foi em 12 de julho, de uma mulher de 20 anos que esteve em Roma.

Fonte: DROPNEWS

Escolha o seu Reação!
Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.